Home / Crime / Por Culpa do Governo Flávio Dino, morreu a bebê Agatha

Por Culpa do Governo Flávio Dino, morreu a bebê Agatha

Hoje, dia 15/01/19, é um dia de tristeza e revolta para a família de Daiane Miranda de Carvalho com a morte de sua pequena bebê, Agatha, porque o governador Flavio Dino decidiu não acatar uma determinação judicial para que ela tivesse transporte e fosse movida imediatamente para outro Estado. (Leia o artigo explicando o caso aqui)

A tristeza pela morte da bebê Agatha atinge a todos nós, cidadãos de bem, pais e mães de família; atinge até mesmo aqueles que ainda não têm filhos mas têm a sensibilidade para entender o sofrimento da bebê e sua mãe. Qualquer cristão também sofre ao ver tamanha crueldade contra um bebê inocente.

É também um dia de revolta. A revolta nos consome, principalmente, porque a morte da pequena Agatha poderia e deveria ter sido evitada a qualquer custo, caso o governo do senhor Flávio Dino não visse aquele pedido de socorro da mãe como mais um mero problema administrativo que deveria seu governo resolver à canetadas.

A morte da pequena Agatha é responsabilidade direta do chefe do executivo estadual maranhense, o senhor Flávio Dino e sua equipe na SES.

 A Secretaria Estadual de Saúde emitiu uma nota demonstra o quanto de sensibilidade tem o governo para com uma bebê, filha de sua terra e diz, laconicamente que, “lamenta a morte da bebê…” mas não sem focar em empurrar o que eles consideram um problema administrativo para outra esfera de governo, ou ainda, outro estado, como se o Governo do Maranhão nunca pudesse ter tido condições de ajudar a criança.

Para o governo Flávio Dino, a bebê Agatha era mero problema administrativo, era vista como apenas um número na estatística que agora está resolvido com sua morte. 

Flávio Dino venceu mais uma, lamentavelmente, a bebê Agatha perdeu.

 

Fonte – Rony Dias

About nordesteonline

Check Also

VÍDEO: Considerado psicopata, Zé do Valério é preso depois de quase três meses foragido

Ele também é suspeito de outras duas mortes de mulheres, uma em Tauá e outra em Itapipoca. Nesta última, …

error: Content is protected !!